Ortodontia Brasileira

Gostei muito de alguns aspectos abordados no artigo publicado na Revista Clínica de Ortodontia (Dental Press) de abr-mai de 2011 pelos autores Marinho e Luciano Del Santo. Além do excelente caso clínico apresentado os autores chamam a atenção para questões críticas na Ortodontia Brasileira nos dias de hoje. Posto aqui um trecho do artigo:
"Quando uma pessoa procura um profissional da saúde, apresenta alguma dúvida, alguma demanda, algum problema ou a combinação de todas essas necessidades. O profissional, por sua vez, atua de acordo com o cenário em que está inserido: sua formação, seu conhecimento, seu modelo de atendimento, suas convicções pessoais, sua habilidade manual e seus interesses comerciais. A aprovação do tratamento proposto e sua execução clínica dependerão da convergência desses cenários e das condições biológicas, psicológicas, materiais, temporais e financeiras para que isso ocorra.
"(...) Há muito tempo, sabemos que não se conseguem em Odontologia resultados simultaneamente bons, rápidos e baratos. Hoje em dia, em especial nas grandes cidades, a pressão pessoal e profissional impõe regras ainda mais exigentes do que no passado. O paciente frequentemente busca essa tríade (qualidade-velocidade-preço) e, fatalmente, se desilude: não existe serviço odontológico bom, rápido e barato. O bom pode ser rápido, mas não é barato; o rápido pode ser barato, mas não é bom; o barato, geralmente não é bom nem rápido."

Nenhum comentário: